sábado, 24 de outubro de 2009

Abolição - poema

Talvez fosse vital me libertar/Abrir em cruz os braços negros/Tentar desesperadamente/Gritar como a fera/Que quase sou. - Quem sabe fosse normal meu caminhar/Devorar léguas com os pés sem medo/Parar abruptamente/Esperar com a espera/ No quase vou.
Talvez fosse igual ao despertar/O apontar acusador do meu dedo/Rosnar - Literalmente/Lutar - À vera/O que passou não passou.
Então era tal qual abominar/A dor vinha com o sol ainda cedo/Pensar acorrentadamente/Senzala me espera/e eu nunca vou.


Abolição - ABOLIÇÃO E OUTROS POEMAS - 1988 - Jorge D'Oliveira(Ganga Zumba)

2 comentários:

  1. Nossa!!!Esse poema é de arrasar!!!

    ResponderExcluir
  2. oi pai do black! adorei os seus poemas... vc escreve bem demais! parabens! bjs

    ResponderExcluir